Rede SIRGAS de monitoramento contínuo

A realização (materialização) do SIRGAS foi inicialmente executada por meio de duas campanhas GPS. A primeira em 1995 (SIRGAS95), com 58 estações; a segunda em 2000 (SIRGAS2000), com 184 estações. Atualmente, o SIRGAS está materializado por uma rede de estações GNSS de monitoramento contínuo que possuem coordenadas com alta precisão (associadas a uma época de referência específica) e suas variações ao longo do tempo (velocidades das estações). A rede SIRGAS de monitoramento contínuo (SIRGAS-CON) é formada por cerca de 400 estações distribuídas na América Latina e no Caribe. A operabilidade da rede SIRGAS-CON conta com a contribuição voluntária de mais de 50 entidades, que implantam as estações e mantém sua operação de forma adequada para, posteriormente, colocar as informações observadas à disposição dos centros de análises. Devido ao número crescente de países latino-americanos que estão implantando estações de monitoramento contínuo visando estabelecê-las como principal infra-estrutura geodésica e que tais estações devem ser integradas de forma consistente à rede de referência continental, a rede SIRGAS-CON compreende:

  1. Uma rede de cobertura continental (SIRGAS-C), sendo uma densificação primária do ITRF na América Latina. Esta rede possui boa cobertura continental e estações materializadas em locais estáveis, visando garantir estabilidade da rede de referência a longo prazo.
  2. Redes de referência nacionais (SIRGAS-N), que densificam a rede continental e fornecem acesso à rede de referência em nível nacional e local. Tanto a rede continental, como as redes nacionais têm as mesmas características e qualidade. Os dados de cada estação são processados por três centros de análise.

Os dados da rede SIRGAS-C são processados semanalmente pelo DGFI-TUM (Alemanha) em sua qualidade de centro de análise IGS RNAAC SIRGAS (IGS Regional Network Associate Analysis Centre for SIRGAS). Os dados das redes nacionais SIRGAS-N são processados pelos Centros de Processamento Locais SIRGAS: CEPGE (Equador), CNPDG-UNA (Costa Rica), CPAGS-LUZ (Venezuela), IBGE (Brasil), IGAC (Colômbia), IGM-Cl (Chile), IGN-Ar (Argentina), INEGI (México) e SGM-Uy (Uruguai). Estes Centros geram soluções semanais semilivres (fracamente injuncionadas) das redes SIRGAS-N, as quais são combinadas com a rede continental SIRGAS-C, assegurando que as posições e velocidades de todas as estações (continentais e de densificação) sejam compatíveis entre si. Esta combinação é realizada pelo IBGE e o IGS RNAAC SIRGAS (DGFI-TUM) como Centros de Combinação SIRGAS. A estratégia de processamento garante que cada estação regional SIRGAS-CON esteja incluída em três soluções individuais.

Os principais produtos da rede SIRGAS-CON são: soluções semanais semilivres no formato SINEX, para a integração da rede SIRGAS-CON às soluções poliédricas global do IGS, o cálculo de soluções multianuais, coordenadas semanais ajustadas ao ITRF (associadas à época da observação), para aplicações na América Latina, e soluções multianuais (acumuladas) com coordenadas e velocidades, visando aplicações práticas e científicas que requeiram posicionamento dependente das variações temporais (transformação entre épocas).