Realizações do Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas

A primeira realização do SIRGAS (SIRGAS95) refere-se ao ITRF94, época 1995,4. Foi conduzida por uma rede de 58 estações GPS distribuídas em toda a América do Sul. No ano 2000, esta rede foi remedida e estendida aos países do Caribe, América Central e do Norte. Para se ter em conta esta extensão, o significado da sigla mudou do original “Sistema de Referência Geocêntrico para a América do Sul” para o atual “Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas”. A segunda realização (SIRGAS2000) inclui 184 estações GPS e está referida ao ITRF2000, época 2000,4. A precisão destas duas realizações está entre ±3 … ±6 mm.

A terceira e atual realização do SIRGAS é dada por uma rede de estações GNSS que funcionam continuamente distribuídas na América Latina denominada de Rede SIRGAS de Operação Contínua (SIRGAS-CON). Os dados das estações da rede SIRGAS-CON são processados semanalmente visando a estimação da posição semanal instantânea alinhada com o ITRF e soluções multianuais (acumulativa) do SIRGAS. A posição semanal instantânea das estações são especialmente úteis quando fortes terremotos causam deslocamentos co-sísmicos ou movimentos de relaxamento fortes nas estações SIRGAS, o que impede a utilização das coordenadas determinadas previamente. As soluções multianuais fornecem a posição e a velocidade mais acuradas e atualizadas das estações SIRGAS. Elas são utilizadas na realização e manutenção do sistema de referência do SIRGAS no intervalo entre duas edições do ITRF. Enquanto uma nova edição do ITRF é publicada aproximadamente a cada cinco anos, a solução multianual do sistema de referência do SIRGAS é atualizada a cada um ou dois anos. As coordenadas e velocidades das estações SIRGAS-CON se encontram disponíveis no servidor ftp.sirgas.org, administrado pelo IGS-RNAAC-SIR (IGS Regional Network Associate Analysis Centre for SIRGAS).

A relação entre as diferentes realizações do SIRGAS (ou suas densificações) é dada pelos parâmetros de transformação entre as soluções ITRF correspondentes e a redução das coordenadas para a mesma época. Esta redução é realizada de duas maneiras: i) as estações de monitoramento contínuo (SIRGAS-CON) com mais de dois anos de observações utilizam as velocidades calculadas pela solução multi-anual do IGS-RNAAC-SIR mais recente, e ii) para as demais estaçõesIGS, na qual as velocidades não estão incluídas, utiliza-se o Modelo de Velocidades VEMOS (Velocity Model for SIRGAS). As diferentes realizações SIRGAS, reduzidas à mesma época de referências, são compatíveis ao nível do milímetro.

A realização do novo sistema vertical de referência para o SIRGAS corresponde à realização do SIRGAS2000, que inclui as estações SIRGAS95, os marégrafos de referência dos sistemas de altitudes existentes e algumas estações fronteiriças que permitem a conexão das redes verticais de primeira ordem entre os países vizinhos. As estações referenciadas ao SIRGAS devem ser conectadas mediante nivelamento de precisão com os marégrafos de referência e seus números geopotenciais devem ser conhecidos. Levando em conta que as densificações nacionais do SIRGAS incluem um aumento crescente do número de estações de monitoramento contínuo (SIRGAS-CON), algumas delas devem integrar a realização do sistema de referência vertical.

Buenos Aires, Argentina
September 16-20, 2019

Rio de Janeiro, Brazil
November 11-14, 2019

Rio de Janeiro, Brazil
November 6-8, 2019